Memorial Parque da Paz | Um lugar à altura da sua história
Memorial Parque da Paz | Um lugar à altura da sua história

05


outubro


2018

Memorial Parque da Paz | Um lugar à altura da sua história
Saiba mais sobre o segundo câncer mais comum entre mulheres.

 

 Outubro, apesar de ser conhecido como o mês das crianças, também carrega uma seriedade nele. O movimento de conscientização do câncer de mama começou em 1990, quando aconteceu a primeira “Corrida Pela Cura” - realizada em Nova Iorque. Em 1997, nos Estados Unidos, começaram a promover atividades voltadas ao diagnóstico e prevenção da doença, e desde então o nosso grande e amigável “Outubro” foi escolhido como o mês epicentro das ações, que são realizadas até hoje em vários lugares do mundo!

 

Qual a importância da campanha?


 

    O Memorial abraça esta causa pois é essencial que falemos do segundo câncer mais comum em mulheres! Uma doença com tal seriedade não deve ser ignorada e muito menos subestimada.

    O INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva) estima mais de 50.000 novos casos de câncer de mama para cada ano - isto somente no Brasil. E devemos lembrar que a doença não tem prevenção, mas se for diagnosticada precocemente as chances de cura chegam a beirar 90%.

 

Como identificar o câncer?


 

    Primeiro de tudo, precisa-se identificar patologias mamárias em parentes, levando em consideração o grau de parentesco com a/o paciente em questão e ter em mente que o diagnóstico de câncer da mama em parentes de primeiro grau confere maior risco. A caracterização da patologia que afetou o parente (benigno ou maligno) e a idade em que ocorreu o evento (pré ou pós-menstrual) é fundamental - ressaltando que quanto mais jovem é a/o paciente, maior o risco relativo para os parentes.  

 

    Devemos ficar atentos também aos sinais que podem apontar o câncer de mama, como:

ferida(s) na(s) mama(s);

- nódulo(s) ou caroço(s) aparente(s);

- alterações na coloração da aréola;

- pele enrugada;

- liberação de líquido pelos mamilos;

- veias fáceis de enxergar;

- vermelhidão, inchaço ou calor na pele;

- sulco/afundamento de uma região ou mudança na forma da mama;

- coceira frequente no(s) seio(s);

- endurecimento da pele.



 

O autoexame é primordial!


 

    Realize o autoexame com frequência! O exame deve ser feito, pelo menos, uma vez por mês e a melhor época é logo após a menstruação. Para as mulheres que não menstruam mais, o autoexame deve ser feito num mesmo dia de cada mês, por exemplo, todo dia 15. Conheça as suas mamas e fique atenta a qualquer tipo de alteração - em caso de variações, procure imediatamente um mastologista.

 

    Confira abaixo o passo a passo para o autoexame:

 


 

    Compartilhe esta matéria para que mais pessoas conheçam a gravidade da doença e saibam como identificar tal diagnóstico! #TodosPelaVida #OutubroRosa

Comments